Assédio: Japonês da Federal é obrigado a mudar de função

japones

De óculos escuros, uniformizado e escoltando presos da Lava Jato. Assim ficou conhecido Newton Ishii, o “Japonês da Federal”. Mas o assédio com ele tem sido tão grande, que o profissional teve de mudar de função.

Enquanto realizava seus deveres na Polícia Federal de Curitiba, Ishii era parado para tirar fotos e conversar com admiradores, o que poderia chamar a atenção para eventuais alvos de operações. Por esse motivo, o “Japa da PF” não participa mais de prisões.

Carnaval
O “Japonês da PF” ainda vai estar presente no Carnaval. Isso porque circula na internet, em ritmo de marcinha, o vídeo “hit do japa bonzinho”. A música, composta por Thiago SP, Daniel Batistoni, Jabolinha e Tigrão, foi postada no Facebook pelo jornalista Douglas Santucci e possui mais de 2 milhões de visualizações na rede social.
Ichii foi chamado de “japonês bonzinho” em uma gravação telefônica entre o senador Delcídio Amaral (PT-MS), Edson Ribeiro, advogado de Nestor Cerveró, Bernardo Cerveró, filho do ex-diretor da Petrobras, e Diogo Ribeiro, chefe de gabinete de Delcídio.

Na gravação, é dito que Newton Ishii seria o “japonês bonzinho” que poderia ter vazado a delação de Cerveró para André Esteves, presidente do BTG Pactual.

Poucos sabem

De acordo com a revista Época, Newton Ishii entrou na Polícia Federal em 1976, mas em 2003 acabou sendo preso suspeito de integrar uma quadrilha de contrabando na fronteira com o Paraguai. A prisão do Japa, ironicamente, foi feita pela própria PF, que chegou a expulsá-lo da corporação.

Após responder a processos civis e criminais, Ishii voltou a trabalhar na PF, e hoje é um dos homens de confiança da corporação.

Diário de São Paulo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *