Atendimento ágil do Samu salva pai e filho, vítimas de acidente com motocicleta

Moradores de Cajueiro, eles foram atingidos por uma moto que trafegava na contramão

8ef8e6d35acdae3dd6d88a4e28cc91cd_l

Inconsciente, três dentes quebrados, os dois joelhos contundidos e lesões nos dois ombros que acabaram resultando em 12 pontos no pé esquerdo, seis pontos no rosto e quatro na orelha esquerda. Esse foi o resultado do acidente de trânsito sofrido pelo estudante José Marcos Alves, 18 anos, que foi resgatado pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu).

O acidente, que ocorreu no município de Cajueiro, distante 81 km de Maceió, foi provocado por uma motocicleta que trafegava na contramão e que acabou se chocando com a moto onde o estudante e seu pai estavam. Para fazer o socorro, o Samu encaminhou até o local duas ambulâncias: uma Unidade de Suporte Avançado (USA) e uma Unidade de Suporte Básico (USB).

Na ocasião, José Expedito Alves, 51 anos, pai de José Marcos Alves, também sofreu ferimentos e ficou inconsciente. Ele foi levado para o Hospital Municipal de Cajueiro e, posteriormente, para o Hospital Geral do Estado (HGE), em Maceió, onde ficou internado.

O desespero do acidente ficou apenas na lembrança, bem como, a convicção que a agilidade do Samu foi decisiva para que pai e filho tivessem sido salvos. Hoje, de volta a Cajueiro, os dois relembram dos momentos de dor e desespero que passaram, mas reafirmam que, graças aos socorristas do Samu, tiveram o sofrimento reduzido.

“Estávamos sangrando muito e ficamos inconscientes. Só voltei a ter consciência quando estava no hospital”, disse José Expedito Alves, afirmando ter ficado satisfeito com o atendimento recebido por ele e, principalmente, pelo filho. “Se não fosse o trabalho rápido do pessoal do Samu não estávamos aqui falando tudo isso”, salientou.

José Expedito Alves lembra que estava com o filho na motocicleta e pretendia abastecê-la no posto de combustíveis próximo de sua casa, mas, inesperadamente, ele recebeu o impacto de outra motocicleta. “Foi tudo muito rápido e quando dei por mim já estava no chão com um monte de gente ao lado. Depois disso não vi mais nada”, relatou, ao enfatizar que, segundo testemunhas, a motocicleta que colidiu contra ele estava sendo guiada na contramão.

Nos últimos anos, os atendimentos realizados às vítimas de acidentes com motocicletas têm aumentado consideravelmente, segundo estatísticas do HGE. Para se ter ideia, entre os anos de 2006 a 2015, houve um aumento de 179% no número de atendimentos a motociclistas e passageiros de motocicletas no maior hospital público do Estado.

Arnaldo Santtos – Agência AL

18/10/16

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *