Fiscalização do IMA identifica descarte irregular de lixo hospitalar

Hospital de Arapiraca recebe multas que ultrapassam R$1,7 milhão

1008ima

Após um trabalho de investigação realizado pela equipe da Gerência de Monitoramento e Fiscalização do Instituto do Meio Ambiente (IMA), na tarde de sexta-feira (7), o hospital Chama de Arapiraca foi autuado e recebeu cinco multas que somadas passam de R$ 1,7 milhão. A principal e mais grave irregularidade é a destinação incorreta dos resíduos gerados no local.

A situação encontrada surpreendeu até mesmo a equipe de fiscalização que, após receber denúncias e suspeitar que a quantidade de resíduos gerados é muito inferior ao que é declarado e enviado para a correta destinação, conseguiu encontrar os locais onde eram descartados todo tipo de resíduos gerados na Unidade de Saúde.

A equipe encontrou um primeiro local, em propriedade particular e com acesso através de uma plantação de milho, onde foi feita uma espécie de vala para a incineração do material. Em seguida achou outro terreno, este pertencente e localizado ao lado do hospital, com uma grande quantidade de resíduos depositados, além de outra área de incineração.

Os técnicos ficaram impressionados com a quantidade, afirmaram que o local parecia um “lixão” dentro do hospital. Ainda foi encontrado o descarte irregular no vazadouro de Arapiraca.

Segundo informações do gerente de Monitoramento e Fiscalização, Ermi Ferrari, a situação encontrada “é muito grave. Ameaça ao meio ambiente e a população. Nossas equipes estiveram lá esse ano, foram feitas duas outras autuações. Além do dolo, há recorrência de infrações”, destacou o gerente.

A afirmação é feita porque pode ter havido uma tentativa de omitir ou esconder o problema. Considerando que o local foi autuado duas vezes esse ano, com multas que somadas chegavam a R$ 45 mil, por falta de licenciamento e pelo lançamento de efluente sem tratamento.

Na ocasião, foi assinado um Temo de Ajustamento de Conduta (TAC), com prazo até fevereiro de 2017, para a construção de uma Estação de Tratamento de Efluentes.

Nos autos de infração lavrados na sexta-feira, constam as multas que somadas passam de R$ 1,7 milhão. Elas se referem a queima irregular, armazenamento inadequado, deixar de dar a destinação ambientalmente adequada e lançamento irregular, em vazadouro, de resíduos gerados na Unidade de Saúde, além de reforma e ampliação sem licença.

Clarice Maia – Agência AL

08/10/16

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *