Ministério da Saúde lançará edital para substituir médicos cubanos

O Ministério da Saúde informou nesta 4ª feira (14.nov.2018) que lançará nos próximos dias 1 edital para convocar médicos que queiram ocupar as vagas que serão deixadas pelos profissionais cubanos do programa Mais Médicos.

Nesta 4ª feira, o Ministério da Saúde Pública de Cuba anunciou que o país não participará mais do programa, lançado no governo de Dilma Rousseff (PT) para aumentar a oferta de médicos no interior do país. O motivo da decisão são as declarações “ameaçadoras e depreciativas” feitas pelo presidente eleito, Jair Bolsonaro.

“Será respeitada a convocação prioritária dos candidatos brasileiros formados no Brasil seguida de brasileiros formados no exterior”, diz nota do Ministério da Saúde.

Segundo o informe, desde 2016 o Ministério trabalha na diminuição de médicos cubanos no programa.

Até o referido ano, cerca de 11.400 profissionais de Cuba trabalhavam no Mais Médicos. Neste momento, 8.332 das 18.240 vagas do programa estão ocupadas por eles. Eis os dados por unidade da Federação:
© Fornecido por Poder360 Jornalismo e Comunicação S/S LTDA.

Outras medidas para ampliar a participação de brasileiros estavam sendo estudadas pela pasta, como a negociação com os alunos formados por meio do Fies (Programa de Financiamento Estudantil), revela o MSN.

“Essas ações poderão ser adotadas, conforme necessidade e entendimentos com a equipe de transição do novo governo”, conclui o texto.

Leia a íntegra:

“O Ministério da Saúde recebeu nesta manhã (14) o comunicado da Organização Pan-Americana de Saúde (Opas), no qual o governo cubano informa que encerrou sua parceira no programa Mais Médicos.  Diante do fato, o governo federal está adotando todas as medidas para garantir a assistência dos brasileiros atendidos pelas equipes da Saúde da Família que contam com profissionais de Cuba.

A iniciativa imediata será a convocação nos próximos dias de um edital para médicos que queiram ocupar as vagas que serão deixadas pelos profissionais cubanos. Será respeitada a convocação prioritária dos candidatos brasileiros formados no Brasil seguida de brasileiros formados no exterior.

Desde 2016, o Ministério da Saúde vem trabalhando na diminuição de médicos cubanos no programa. Até aquela data, cerca de 11.400 profissionais de Cuba trabalhavam no Mais Médicos. Neste momento, 8.332 das 18.240 vagas do programa estão ocupadas por eles.

Outras medidas para ampliar a participação de brasileiros vinham sendo estudadas pelo Ministério da Saúde, como a negociação com os alunos formados através do FIES (Programa de Financiamento Estudantil). Essas ações poderão ser adotadas, conforme necessidade e entendimentos com a equipe de transição do novo governo.

O Ministério da Saúde reafirma e tranquiliza a população que adotará todas as medidas para que profissionais brasileiros estejam atendendo no programa de forma imediata.”

15/11/2018