Servidor do Itamaraty é morto no DF por garoto de programa, diz polícia

Suspeito foi capturado com carro da vítima e confessou crime à Polícia Civil. Corpo foi encontrado no apartamento onde o servidor morava, na Asa Sul.

00

A Polícia Militar do Distrito Federal prendeu, na madrugada desta quinta-feira (20), um garoto de programa suspeito de matar um servidor do Ministério de Relações Exteriores na noite de terça (18). O homem confirmou o crime em depoimento à Polícia Civil e foi preso em flagrante.

Segundo amigos, o corpo de Josué Nóbrega Pereira foi encontrado na manhã de quarta (19) no apartamento onde ele morava, na 307 Sul. Ele estava nu, de bruços e com um cinto amarrado no pescoço. Como o carro da vítima não foi encontrado nas imediações do prédio, as informações do veículo já tinham sido passadas à Polícia Militar.

Na madrugada desta quinta, o garoto de programa foi abordado enquanto dirigia na região do Paranoá. Questionado pelos PMs, o suspeito chegou a dizer que tinha pegado o carro emprestado com um amigo, mas admitiu o crime em seguida.

Segundo a Polícia Civil, o homem confessou o crime em depoimento na 1ª DP (Asa Sul), e disse que foi abordado pelo servidor na parada de ônibus de um shopping, no centro de Brasília. Após o programa, contratado por R$ 150, ele diz que se desentendeu com a vítima e aplicou um “mata-leão” nela.

À polícia, o garoto de programa disse que não percebeu a morte, e achou que o cliente estava apenas desacordado. O caso é investigado como homicídio, e não latrocínio – segundo a Polícia Civil, o carro foi roubado por “oportunidade”, e não por intenção prévia do autor.

Em nota de pesar, o Sindicato dos Servidores do Itamaraty (Sinditamaraty) lamentou a morte de Josué Pereira. Segundo o texto, o servidor entrou para os quadros do ministério em 2005, como assistente de chancelaria, e já tinha trabalhado em Kiev, Pretória, Bruxelas, Barcelona e Lagos.

oglobo

20/10/2016

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *