Vaga gera polêmica ao exigir ‘olhos claros’, ‘nariz fino’ e ‘cabelo liso’

Anúncio é para trabalhar como promotora de eventos, em Campinas. Vaga foi postada nesta quarta no grupo da Unicamp, no Facebook

postagemanuncio

Um anúncio de vagas para promotoras de eventos causou polêmica ao ser postado na página da Unicamp, em Campinas (SP), no Facebook. O texto ressalta “exigências” que as candidatas precisam ter, como “cabelo longo e liso, bonita, magra, nariz fino, alta e de preferência com olhos claros”.

A postagem foi feita na noite desta quarta-feira (19) e gerou manifestações entre estudantes da universidade na rede social, principalmente em relação ao racismo. Nesta quinta (20) o anúncio já havia sido retirado da página. Para o Diretório Central dos Estudantes (DCE) da Unicamp, a publicação foi racista.

“Nosso posicionamento é de repúdio. A gente acredita que isso contribui para perpetuar o racismo, inclusive a gente tem ele muito presente na universidade”, afirma o coordenador do DCE, Guilherme Montenegro, de 20 anos, aluno da faculdade de geografia.

Profunda ofensa. Eu me senti ofendida por mim, pelo meu pai que é negro e me deu um cabelo crespo, boca larga e nariz grosso”
Júlia Queiroz, aluna da Faculdade de Matemática da Unicamp

O G1 fez contato com o dono da postagem pela rede social, mas não teve retorno.

R$ 700 por noite
A restrita oportunidade de trabalho é para um evento de quatro dias, entre 22 e 25 de outubro, com o cachê de R$ 700 por noite, segundo o anúncio. O trabalho vai das 19h até a meia-noite.

A oferta de emprego é para maiores de 18 anos.

‘Vergonha’
Entre os comentários, alguns relacionavam as exigências do anúncio para promotoras de eventos com “barbies”. A estudante do curso de matemática da Unicamp Júlia Queiroz, de 19 anos, se manifestou pouco depois da publicação, com um post semelhante ao anúncio, criticando pessoas que colocam textos como este.

“Estou contratando gente para parar de passar vergonha no grupo da Unicamp. (…) Exigências: Maiores de 18 anos que queiram divulgar posts ou ofertas de emprego machistas, racistas ou preconceituosas e ofensivas no geral”, diz a postagem.

g1

21/10/16

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *